Atendimento:
(17) 3281-1285
PROCEDIMENTOS

Mama
Mama - Procedimentos - Clnica Lopes Ferraz - Olmpia-SP

Prótese de mama - Plano onde será posicionada a prótese
É realmente muito frequente, a dúvida por parte das pacientes quanto aos planos onde a prótese de silicone pode ser posicionada quando da realização de uma mamoplastia de aumento; cirurgia plástica de aumento mamário. Em cirurgia, quando nos referimos à planos, esses são os planos anatômicos e para a compreensão dos mesmos devemos ter noções básicas de anatomia. Devemos ter em mente dessa maneira, que a região da mama em cortes tangenciais a mesma, apresentaria, de fora para dentro, as seguintes estruturas: pele - gordura subcutânea - glândula mamária - fáscia muscular (estrutura de tecido fibroconjuntivo que reveste o músculo) - músculo peitoral.

Assim sendo, durante à realização de um procedimento de mamoplastia de aumento, a prótese de silicone pode ser posicionada em diferentes planos  e cada um deles possuem vantagens e desvantagens. O plano abaixo da glândula mamária é o mais utilizado, tem a vantagem de um descolamento (confecção da loja que abrigará a prótese) mais rápido e com pouco sangramento, apresentar ótima projeção da prótese em relação ao tórax, e a desvantagem de em pacientes com pouca cobertura de pele e gordura subcutânea a prótese poder ficar muito evidente. Outro plano utilizado é aquele entre a fáscia do músculo peitoral e o músculo peitoral, um plano de difícil descolamento, maior sangramento, a cobertura da prótese normalmente é parcial e em seu pólo superior, pode ser indicado em pacientes com pouca cobertura de gordura subcutânea.

O plano abaixo do músculo peitoral também pode ser utilizado em alguns pacientes; é um plano de fácil descolamento, sangramento moderado ,boa cobertura para a prótese, porém com o inconveniente de achatamento da prótese, diminuição de sua projeção e mobilização da prótese durante atividades físicas o que é muito desagradável. Portanto, todas as vantagens e desvantagens dos possíveis planos de posicionamento da prótese de silicone devem ser avaliadas e discutidas entre a paciente e seu cirurgião plástico, após serem fornecidas á mesma as informações necessárias.

Prótese de Mama - Contratura Capsular
A possibilidade de contratura capsular é um tema que deve ser sempre abordado pelo cirurgião plástico durante as conversas de orientação sobre cirurgias nas quais haverá inclusão de próteses de silicone, como é o caso das mastoplastias de aumento, também conhecidas em termos leigos como cirurgia plástica para aumento das mamas. Mas o que é contratura capsular? Para podermos entender esse fenômeno teremos que rever alguns conceitos de cicatrização e corpo estranho. Todo corpo estranho que penetre, ou seja incluído, em nosso organismo, causará uma resposta à presença desse corpo estranho. Essa resposta levará a um processo de formação de uma barreira cicatricial em torno desse corpo estranho. Essa barreira cicatricial é denominada cápsula.

Esta cápsula é composta basicamente de tecido conjuntivo e fibroblastos(materiais presentes em todas as cicatrizes) que irão se posicionar ao longo das linhas de força dessa cicatriz. Concomitantemente à formação dessa cápsula cicatricial ocorre um processo de contração da mesma; uma maneira do organismo diminuir a área a ser revestida. A espessura dessa cápsula cicatricial e a intensidade em que ocorrerá a contratura da mesma depende de vários fatores, os mais importantes são a programação genética (ou seja, a predisposição genética do paciente), o material que foi incluído e presença de infecção. No caso da cirurgia plástica para aumento das mamas, o corpo estranho é a prótese de silicone, e a cápsula cicatricial ocorrerá em torno da mesma.

A programação genética da paciente não pode ser alterada, porém inúmeros avanços na produção e no material das próteses, como a texturização das mesmas, levaram à índices muito mais baixos de contratura capsular do que os registrados no passado (que levavam invariavelmente à necessidade da troca das próteses de silicone após alguns anos de sua inclusão). Além disso, a evolução das táticas cirúrgicas na cirurgia de aumento mamário com prótese, faz dessa cirurgia um dos procedimentos cirúrgicos com menor índice de infecção. Com essa série de melhorias, o número de casos de contratura capsular após um procedimento de inclusão de prótese de silicone é realmente muito baixo, e a troca das próteses devido a esse motivo se tornam cada vez mais raras.

A prótese mamária prejudica a amamentação?
Muitas pacientes me perguntam se após uma cirurgia de aumento mamário com utilização de prótese de silicone terão alguma dificuldade ou problema para amamentar. A resposta é não. Não implicará nenhuma alteração na amamentação. A mama é uma glândula especializada e de origem ectodérmica, ou seja, mantém íntima relação com a pele que a recobre. Na cirurgia de aumento mamário com prótese de silicone a prótese é posicionada abaixo da glândula e sobre o músculo peitoral ou em um plano ainda mais profundo como entre o músculo e a membrana que o recobre (subfascial) ou até abaixo do músculo peitoral (retromuscular), e dessa maneira não altera a relação da glândula mamária com a pele; presentes em um plano mais superficial.

Além disso, quando se utiliza como via de acesso para colocação da prótese de silicone a incisão (o corte) posicionada no sulco inframamário, não há necessidade, para o posicionamento da prótese, de atuar no tecido mamário. Todas as estruturas da glândula mamária responsáveis pela lactação permanecerão íntegras e com a função preservada. Assim, fica claro, que a cirurgia de aumento mamário com prótese de silicone é um procedimento seguro e que não compromete a amamentação.

Aumento Mamário com Prótese de Silicone
A cirurgia plástica para o aumento mamário com a utilização de prótese de silicone é muito difundida no Brasil, representando se não a primeira, a segunda cirurgia plástica estética mais realizada nos últimos anos. As próteses são feitas incorporando os últimos avanços tecnológicos como o silicone de alta coesividade (muito denso e unido entre si) que impede o estravazamento do mesmo em caso de ruptura da cobertura da prótese,cobertura essa que pode apresentar múltiplas camadas e  texturas ou revestimento de poliuretano visando atenuar a resposta do organismo a presença dessa prótese.

Existem próteses de silicone de formas e tamanhos variados para que cada paciente possa ser tratado de forma personalizada e ter suas expectativas atingidas. As próteses para o aumento mamário podem ser posicionadas atrás da glândula mamária,atrás do músculo peitoral ou entre o músculo peitoral e sua fáscia (capa de tecido fribroso que envolve o músculo). A colocação de prótese de silicone para aumento mamário não prejudica nem interfere na lactação ou amamentação. Esse procedimento cirúrgico pode ser realizado com anestesia local ou geral. No pós operatório a dor é muito discreta e facilmente controlada com analgésicos comuns, é utilizado modelador elástico e recomendado repouso relativo. É uma cirurgia que traz satisfação imediata e aumento da auto estima da paciente.

Aumento mamário com prótese X Estrias
A cirurgia de mastoplastia de aumento com prótese de silicone ou cirurgia plástica de aumento mamário com prótese de silicone, é hoje, uma cirurgia bastante conhecida pelas pacientes, ocupando o segundo lugar dentre as cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil, neste último ano, atrás apenas da lipoaspiração. Como sabemos, esta cirurgia consiste na inclusão de uma prótese de silicone na região mamária, ocorrendo neste local um aumento de volume e consequentemente uma expansão tecidual. A expansão tecidual leva a uma série de alterações nas estruturas adjacentes: a epiderme torna-se mais espessa, a derme se adelgaça, os feixes de colágeno se espessam e as fibras elásticas podem romper-se e desenvolver alterações fibróticas, o que pode ser evidenciado clinicamente por estrias.

O que fazer então, para prevenir o aparecimento de estrias em uma cirurgia de aumento mamário? Em primeiro lugar devemos estar cientes que como as estrias se devem á ruptura de fibras elásticas e estas estão diretamente relacionadas à fatores genéticos da paciente, como, a quantidade de fibras elásticas, a qualidade dessas fibras, sua disposição no tecido, e até, se a paciente já passou por outras expansões teciduais como ganho de peso por exemplo, fatores esses inerentes ao paciente e que fogem ao controle do cirurgião. Apesar deste determinante genético, algumas medidas podem ser realizadas em prol de uma boa evolução e a principal delas é a escolha do volume da prótese.

Não podemos nos esquecer que o principal fator limitante para a escolha do volume da prótese é a quantidade de tecidos locais disponíveis, ou seja, o volume da prótese poderá ser maior se houver muita pele disponível na região mamária e deverá ser de um volume menor se a quantidade de pele local for escassa. Assim, a inclusão de prótese de grande volume em uma região mamária de pouca disponibilidade de pele aumenta os riscos de aparecimento de estrias. Outra medida bastante aceita é o uso de produtos hidratantes, para melhora da qualidade da pele da região mamária, que podem ser utilizados tanto no pré como no pós operatório.

Cirurgias de Aumento Mamário com Prótese de Silicone
Todas as mulheres já sabem que para aumentar o volume das mamas; para acrescentar conteúdo às mesmas, é necessário o uso de próteses de silicone. Mas, o que poucas delas sabem, é que existem diferentes tipos de cirurgias de aumento mamário que utilizam a prótese de silicone. Variando de acordo com os tipos de mamas, ou, mais especificamente, variando de acordo com as imperfeições à serem corrigidas. Basicamente esses diferentes tipos de cirurgia podem ser divididos em dois grupos: as matoplastias de aumento com próteses de silicone e as mastopexias de aumento com prótese de silicone. Sendo o fator determinante para a escolha da melhor técnica, a posição do complexo aréolo-mamilar (o “bico” e aréola da mama).

A posição ideal do complexo aréolo-mamilar deve corresponder à uma distância que pode variar entre 18 e 21cm (para os americanos até 23cm) da fúrcula esternal (região do tórax anterior próxima a base do pescoço) na linha hemiclavicular (linha que corta ao meio a clavícula; coincidindo com o centro do cone mamário). Para as pacientes que apresentarem uma mama pequena ou menor que o tamanho desejado e que apresentem o complexo aréolo-mamilar na posição adequada, a cirurgia indicada será a mastoplastia de aumento e com um pequeno corte no sulco inframamário a prótese de silicone poderá ser introduzida e a imperfeição solucionada. Porém para as pacientes que apresentarem um complexo aréolo-mamilar fora de posição, abaixo do limite inferior de 21 cm ou fora do centro do cone mamário será necessária uma cirurgia mais complexa denominada mastopexia de aumento, na qual esse complexo aréolo-mamilar será levado à posição ideal, porém isso irá resultar além de uma cicatriz no sulco inframamário, outra vertical; como um “T” invertido, cujos benefícios com certeza justificam sua existência. Ao final de ambos os procedimentos a paciente terá uma mama mais bela, em harmonia com o restante de seu corpo.

Existe uma maneira de reduzir o tamanho da aréola da mama?
Existe sim. A aréola é uma estrutura circular, de coloração mais escura que a pele da mama, localizada; quando bem posicionada, no pólo médio da mama, é o local de implantação da papila mamária onde desembocam os ductos galactóforos que conduzem o leite no período de lactação. É muito comum a queixa de aréolas alargadas, grandes ou de contorno irregular por parte de pacientes que apresentaram um rápido crescimento e desenvolvimento das mamas e principalmente daquelas pacientes que já amamentaram. A melhora do contorno e o tamanho ideal da aréola é obtido em um procedimento cirúrgico, que pode ser realizado sob anestesia local e sedação, no qual são utilizados instrumentos especializados como o areolótomo que definirá o novo tamanho e forma da aréola.

Ao final da cirurgia a aréola terá um contorno mais arredondado e uniforme e um diâmetro harmônico em relação ao cone mamário, ficando a cicatriz camuflada na área pigmentada intra areolar. A cicatrização dessa região, via de regra, é excelente. Esse procedimento cirúrgico é também muito realizado em associação com cirurgias de redução mamária, aumento mamário com prótese de silicone e mastopexias (cirurgia para correção de mamas ptosadas; caídas). É uma cirurgia que harmoniza o conjunto aréola/mama devolvendo sua beleza e trazendo importante melhora na auto-estima da paciente.

Gostaria de aumentar o tamanho da minha prótese de mama.Como isso é feito?
É muito frequente, o desejo da paciente que já possui uma prótese de silicone na região mamária em alterar o seu tamanho; sendo na maioria das vezes uma mudança para tamanhos maiores. Quando falamos em aumentar o tamanho desta prótese estamos na verdade querendo dizer que a paciente deseja uma troca da prótese antiga menor, por uma prótese nova maior. Mas, antes da realização desse procedimento cirúrgico de troca de próteses, a paciente deve ser examinada e avaliados fatores como o diâmetro do tórax e a quantidade e qualidade da pele nas mamas para, em primeiro lugar, buscar a harmonia das mamas com o corpo como um todo e, em segundo lugar, averiguar se a estrutura da região das mamas suportará uma prótese maior.

Uma vez apta à cirurgia de troca de próteses esta é muito semelhante à cirurgia de inclusão de prótese de silicone convencional. A incisão de acesso (corte) na grande maioria das vezes pode ser posicionada no mesmo local da já existente em decorrência da primeira cirurgia; no sulco inframamário. Após a retirada da prótese antiga devem ser realizadas manobras para desfazer a cápsula de fibrose que envolvia aquela prótese e ampliação da loja, uma vez que uma nova prótese maior deverá ocupar esse lugar. A nova prótese é então colocada e a via de acesso fechada. Os cuidados pós-operatórios serão os mesmos da cirurgia convencional de inclusão de prótese de silicone, com repouso relativo, analgésicos de rotina e malha modeladora elástica. Esse procedimento cirúrgico é um grande recurso na busca de um corpo mais gracioso e harmônico.

Papila Mamária Hipertrófica
A papila mamária, também conhecida popularmente como o bico ou mamiloda mama, muitas vezes, pode gerar insatisfação quanto ao seu aspecto quando este se apresenta com um tamanho aumentado. Muitas pacientes procuram o consultório do Cirurgião Plástico com o desejo de correção dessa papila mamária aumentada de tamanho, ou como denominamos, papila hipertrófica. O tamanho grande da papila mamário, geralmente acima de 1cm de projeção por 1cm de diâmetro, realmente, traz certa desgraciosidade ao complexo aréolo-mamilar. Como dito anteriormente a papila apresenta uma projeção e um diâmetro, que individualmente ou conjuntamente podem ser corrigidos em um procedimento cirúrgico buscando uma forma mais adequada e harmoniosa para a nova papila.

Esse procedimento cirúrgico é relativamente rápido e pode ser realizado com anestesia local e sedação. Os pontos da sutura ficam posicionados na área enrugada da papila, podendo ser removidos no sétimo dia de pós-operatório, e após o término da cicatrização se torna extremamente difícil a visualização da cicatriz. O pós-operatório não exige nenhuma limitação específica quanto à postura ou movimentação, sendo apenas necessário o cuidado e a limpeza local diária. Essa cirurgia pode ser associada à correção de aréola alargada, muito comum após gestação e aleitamento materno, adequando dessa maneira todo o complexo aréolo-mamilar.

Qual a idade mínima para uma paciente se submeter à um aumento mamário com prótese de silicone?
A mama, tem sido através dos tempos, o centro de expressão máxima da feminilidade, sendo um elemento importante no equilíbrio emocional da mulher. Com a globalização e a influência dos meios de comunicação, a brasileira mudou seu padrão de beleza; sul-americano, onde tradicionalmente a mama pequena era considerada bela, para se moldar aos padrões vigentes na comunidade norte-americana e européia onde predomina a preferência por mamas grandes. Dessa maneira, houve um aumento significativo da cirurgia de aumento mamário com prótese de silicone através da qual a mulher pode alcançar o aumento de volume mamário sonhado. Assim, cada vez mais cedo, as mulheres procuram adequar seu volume mamário às suas expectativas, melhorando a harmonia de seu corpo e evitando os indesejáveis traumas emocionais.

Mas existe um limite, uma idade mínima? A resposta é sim. O ideal é que cirurgias de aumento mamário com prótese de silicone só sejam realizadas em pacientes que já apresentem desenvolvidos os caracteres sexuais secundários, ou seja, as características físicas que diferenciam o homem e a mulher. Na mulher essa diferenciação é caracterizada pelo desenvolvimento das mamas, presença de pêlos pubianos e axilares, alargamento da bacia, menstruação, acne e acúmulo de tecido adiposo nas nádegas, quadril e coxas. Essas mudanças se iniciam, no sexo feminino entre os 11 e os 14 anos, com a puberdade e se apresentam completas em períodos de tempo variados. A completa diferenciação sexual secundária, ou seja, o desenvolvimento de todas estas características citadas acima definem a maturidade sexual e dessa forma a mulher estará pronta para uma gestação bem como apta a se submeter à uma cirurgia de aumento mamário com prótese de silicone.

Qual a validade, por quanto tempo dura, uma prótese de silicone após ser colocada na paciente? Tem que trocar essa prótese depois de um certo tempo?”
É extremamente comum, e pertinente, a dúvida sobre a validade das próteses de silicone após os procedimentos de inclusão (após essas serem colocadas no corpo) em cirurgias de aumento mamário. Essa dúvida existe tanto por parte das pacientes que pretendem se submeter a esta cirurgia, como também daquelas que já se submeteram ao procedimento, possuem uma prótese mas, não tiveram orientações sobre esse assunto. Segundo os próprios fabricantes e a experiência da utilização desse material por tantos anos, o prazo de validade da prótese de silicone é indeterminado, alguns garantem até que seja vitalício. O fato é que uma vez submetida à cirurgia de aumento mamário com utilização de prótese de silicone a paciente não terá necessariamente que se submeter a uma nova cirurgia para troca dessa prótese em cinco ou dez anos.

Os critérios para troca da prótese de silicone não incluem o tempo transcorrido desde a cirurgia, mas sim levam em conta a integridade dessa prótese; ou seja ausência de sinais de ruptura (que podem ser avaliados com a utilização da ultra sonografia), e a resposta local do organismo a essa prótese; que é representada pela contratura capsular. A contratura capsular pode ser entendida como a resposta do organismo tentando isolar esse corpo estranho, que é a prótese de silicone, do contato com o meio onde foi colocada, através de uma cápsula de fibrose .Essa resposta por sua vez tem intensidade variável de organismo para organismo, e quando ocorre de forma muito intensa (e os trabalhos científicos a esse respeito mostram que esse grupo de pacientes é extremamente pequeno) pode levar a sintomas de desconforto e até alterar o resultado obtido pela cirurgia indicando dessa maneira a troca dessa prótese.

Devido aos imensos avanços tecnológicos como o gel de silicone de alta coesividade, número de camadas de revestimento, a texturização do revestimento da prótese e o revestimento de poliuretano, para citar apenas algumas, das inúmeras melhorias que vem sendo incorporadas a fabricação das próteses de silicone no decorrer desses muitos anos de utilização, os inconvenientes de ruptura da prótese e a contratura capsular vem se tornando cada vez mais raros.

Dessa maneira o aumento mamário com a utilização de prótese de silicone é um procedimento consagrado, seguro, traz ótimos resultados e por isso esta entre as cirurgias plásticas estéticas mais realizadas no Brasil, nos últimos anos.

Que tamanho de prótese de silicone mamária deveria escolher?
Essa é uma dúvida de nove em cada dez mulheres que buscam o aumento mamário com a cirurgia de mastoplastia de aumento com a utilização de prótese de silicone. A escolha do tamanho da prótese deve levar em conta o desejo da paciente que na maioria das vezes, ao procurar o consultório, já traz consigo a idealização do tamanho da mama que gostaria após o procedimento, baseada essa escolha principalmente na sua observação de mamas já operadas (aumento com a utilização de prótese de silicone) de parentes ou amigas. Mas, esse desejo deve vir de encontro com as indicações dadas pelo Cirurgião Plástico após consulta e exame físico individualizado.

Isso mesmo, individualizado, quer dizer que, o volume de uma prótese de silicone que foi utilizada na cirurgia de aumento de mama de uma determinada paciente, por mais bonito que tenha ficado o resultado, pode não ser o tamanho ideal para outra paciente. Quando falamos em tamanho de prótese o mais correto é pensarmos em volume. O volume da prótese é dado por uma relação entre sua base; onde a prótese tem contato com o  tórax; e sua projeção (para fora do tórax). Para escolhermos o volume ideal devemos adequar o desejo da paciente às condições do leito receptor da prótese, ou seja, do tamanho do tórax, da qualidade e quantidade de pele da mama, além da largura dos ombros e da altura da paciente por exemplo; além disso, é importante que o novo volume mamário esteja em harmonia com o restante do corpo.

Dessa forma podemos notar que a escolha do volume é realizada de maneira muito individualizada. É sempre importante lembrarmos que as mamas estão sob a ação da gravidade, sendo assim volumes maiores tendem a ptosar (queda da mama) mais rapidamente que volumes menores e o uso de próteses maiores que a capacidade do leito receptor pode resultar em aspecto constritivo da prótese e estrias na pele. Uma vez bem orientada, a paciente alcançará um resultado harmonioso e sua satisfação, bem como a de todas as pacientes que se submeteram a esse procedimento, é o  que faz da mastoplastia de aumento com prótese de silicone estar entre os dois procedimentos (juntamente com a lipoaspiração) mais realizados pela Cirurgia Plástica hoje.