Atendimento:
(17) 3281-1285
PROCEDIMENTOS

Lipoaspiração
Lipoaspiração - Procedimentos - Clnica Lopes Ferraz - Olmpia-SP

Lipoaspiração
A lipoaspiração é indiscutivelmente um método cirúrgico que revolucionou a Cirurgia Plástica; um verdadeiro divisor de águas da especialidade. A idéia básica e principal de uma lipoaspiração foi apresentada  pelo francês Dr. Yves Gerard Illouz nos anos 1977/1978. Ela reflete a preocupação de que devem ser preservadas ao máximo as conecções da pele aos planos profundos, respeitando os vasos sanguíneos, os linfáticos e as terminações nervosas, contidos nas áreas de atuação. Assim, a execução do procedimento que consta da remoção de gordura, fazendo-se túneis no tecido celular subcutâneo, deve ter princípios a serem observados e respeitados.

São cinco estes princípios *(*Dr. Alcemar Maia Souto):                                         1.Refere-se ao emprego de instrumentos adequados a cada método cirúrgico. As cânulas devem ser apropriadas para cada área a ser tratada. Observou-se que as lipoaspirações feitas com cânulas mais finas tinham e ainda tem os melhores resultados. Via de regra é cânula reta com três furos ventrais e ponta ogival.

2.Diz respeito a execução do método. Os túneis confeccionados numa massa de gordura devem ser em diferentes níveis e devem ser cruzados. Deve-se usar cânulas mais grossas na profundidade e na superfície cânulas mais finas. O movimento deve ser amplo e em leque, indo e vindo, sem causar desconecções da pele em relação aos planos profundos.

3.Cuidado com o tecido aspirado. A ausência de traumatismo exagerado beneficia a retração da pele e o resultado da lipoaspiração. Evitar movimentos bruscos e o pinçamento da área a ser lipoaspirada.

4.A resposta da pele ao esvaziamento de gordura abaixo dela. Quanto mais jovial e firme for a pele, melhor será a sua retração.

5.A segurança do método, ao quanto se deve aspirar. Atualmente há um concenso na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica que o volume lipoaspirado não deve ser superior a 5% do peso corporal do paciente associado a avaliação de outros fatores de segurança como a análise clínica, os índices hematimétricos (avaliar anemia por exemplo), as áreas envolvidas no plano cirúrgico (áreas que serão lipoaspiradas), além da resposta inicial ao trauma durante o ato operatório. E é claro, mas, sempre bom enfatizar, deve ser realizado por Cirurgião Plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e com Título de Especialista em Cirurgia Plástica reconhecido pelo Conselho Regional de Medicina e Associação Médica Brasileira.

A lipoaspiração torna-se segura quando todos esses princípios são observados.

A anestesia poderá ser bloqueio (raquianestesia ou peri) ou geral na dependência das áreas a serem lipoaspiradas. O importante é que ocorra em ambiente hospitalar com a presença do anestesista.

Os cuidados pós-operatórios imediatos são o uso de modelador elástico, medicamentos analgésicos e antibióticos profiláticos. Cuidados mais tardios envolvem  a drenagem linfática cujo objetivo é a dissolução de nódulos gordurosos residuais e o estímulo global deste  sistema. O retorno do paciente as atividades é muito rápido.

A lipoaspiração é a rainha da Cirurgia Plástica Estética atualmente, sendo o procedimento cirúrgico mais realizado nas últimas três décadas.

A Lipoaspiração é perigosa?
A Lipoaspiração é um procedimento cirúrgico seguro, consagrado, muito bem conceituado e que é realizado desde 1977, quando foi concebido pelo cirurgião plástico francês Dr. Yves Gerard Illous, sendo hoje uma das cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil e no mundo. Superficialmente, a Lipoaspiração parece ser um procedimento simples com satisfação instantânea, muito banalizado pela mídia e por programas de TV sensacionalistas; entretanto, é uma cirurgia plástica e como tal deve ser tratada.

A Lipoaspiração é, de fato, uma operação única, definida como um procedimento cirúrgico para remoção de células gordurosas do tecido celular subcutâneo, através de cânulas conectadas a um sistema de aspiração com o intuito de modelagem corporal. Assim, antes da realização da cirurgia deve-se conversar muito com o paciente, ser realizada uma minuciosa anamnese, ou seja, o histórico médico do paciente; sua queixa atual, doenças préveas, presença de comorbidades como hipertensão e diabetes, tabagismo, alergias e remédios em uso.

Um exame físico detalhado para avaliação da área a ser operada e das relações dessa com as estruturas adjacentes e com o corpo como um todo buscando a harmonia das partes. Exames complementares como hemograma, coagulograma e em alguns casos selecionados pela idade ou presença de comorbidades associadas podem ser solicitados eletrocardiograma, raio x de tórax  ou outros exames mais específicos. Com todos esses dados e estando o paciente apto para se submeter ao procedimento cirúrgico, o cirurgião plástico avaliará e indicará ou não a realização da cirurgia. Uma vez bem indicada, a execução do procedimento,deve ter princípios a serem observados e respeitados, como a execução por um cirurgião plástico qualificado com título de especialista e com treinamento para realização dessa cirurgia plástica, o emprego de instrumentos cirúrgicos especiais e adequados a cada método cirúrgico e a segurança quanto a quantidade de gordura que pode ser aspirada e nesse caso há um consenso na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica que esse cálculo deve estar baseado na porcentagem de peso corporal;não devendo ultrapassar 5% a 7% do peso do paciente. O paciente precisa entender que a Lipoaspiração é um procedimento sério e seguro e que todos os cuidados acima citados são necessários. Ao cirurgião plástico cabe orientá-lo nesse processo.

A Lipoaspiração é uma alternativa para o tratamento do excesso de peso?
A pergunta acima é uma constante em meu e-mail ([email protected]), enviada por pacientes das mais diversas idades e pesos. A resposta é não. A Lipoaspiração não é um método de emagrecimento, mas sim; uma cirurgia de contorno corporal. Candidatos ideais são pessoas de peso próximo ao normal, com gordura localizada geralmente nas regiões de abdome, flancos (pneus), lombar, costas, culotes e face interna das coxas entre outros locais. A pele deve ter uma boa tonicidade, elasticidade e sem muita flacidez. É evidente a limitação dos resultados da Lipoaspiração em pacientes com excesso de peso ou obesos.

Costumamos dizer que esses pacientes ainda não estão prontos para uma cirurgia plástica, que se realizada nesse período além de um resultado pobre do ponto de vista da estética e contorno corporal apresentará também um risco anestésico/cirúrgico elevado e uma possibilidade de complicações pós-operatórias como seromas, trombose venosa profunda e tromboembolismo pulmonar não justificáveis para uma cirurgia eletiva e estética. Devemos abordar esse grupo de pacientes de uma maneira especial, individualizada e escalonada. É como a subida de uma escadaria com vários degraus, onde a Cirurgia Plástica pode  e deve atuar, mas nunca nos primeiros degraus.

Os primeiros degraus devem ser área de atuação dos nutricionistas, dos endocrinologistas, dos cirurgiões do aparelho digestivo, dos personal trainers, que permitiram que o paciente suba degrau após degrau, até que, uma vez fora da faixa da obesidade (índice de massa corporal menor que 30) a Cirurgia Plástica poderá então ser realizada e seus resultados potencializados.

Após uma Lipoaspiração o paciente ficará com muitas áreas roxas pelo corpo e com dor?
A resposta é não. Num passado não muito distante, era comum ao conversarmos com pessoas que foram submetidas à lipoaspiração, ouvirmos queixas frequentes de presença nas áreas lipoaspiradas de grandes manchas arroxeadas as chamadas equimoses, devido à ruptura de vasos sanguineos na camada gordurosa lipoaspirada. Associava-se à essa queixa também a dor, muitas vezes relatada como de moderada à intensa. Isso ocorria antigamente devido à uma série de fatores tais como a não solicitação de exames pré operatórios para a avaliação da capacidade de coagulação do paciente, a utilização de cânulas de lipoaspiração muito calibrosas (grossas), presença de muitos orifícios de aspiração nessa cânulas, ausência de limites de segurança quanto a extensão das áreas lipoaspiradas e quanto a quantidade de gordura que poderia ser lipoaspirada, movimentos intempestivos e agressivos com as cânulas no interior das áreas de gordura, realização de lipoaspiração à seco; sem infiltração de nenhuma solução e a não utilização de modelares compressivos no pós-operatório para citarmos apenas alguns exemplos de causas de aumento de traumatismo local e ruptura de vasos sanguineos com consequente estravazamento de sangue local que perpetuará o processo inflamatório  e dessa forma levará a quadros de dor intensa.

Hoje, após várias décadas de aperfeiçoamento de táticas cirúrgicas e estudos laboratoriais a realidade é outra. É fato a necessidade de um pré-operatório realizado com cuidado e que inclua provas de coagulabilidade sanguinea e de como um pós-operatório bem conduzido com a utilização de modeladores compressivos influenciando diretamente o resultado final da cirurgia. Sabemos também que devemos fazer de tudo para minimizar o traumatismo no local aspirado e para tanto fazemos uso de infiltração com solução fisiológica associada a adrenalina que provocará uma vasoconstrição dos vasos sanguineos (diminuindo seu calibre), melhorias na especialização do material cirúrgico utilizado com cânulas de lipoaspiração de calibre mais fino e com menos orifícios de aspiração e movimentação dessa cânula no interior da área de gordura de maneira delicada e harmoniosa, diminuindo dessa maneira a frequência com que esses vasos são atingidos pela cânula; sua conseqüente ruptura e sangramento.

É de primordial importância para o controle do traumatismo, que sejam respeitados os limites de segurança de quanto se pode aspirar de gordura que, de acordo com consenso atual da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, não deve ultrapassar 5% do peso do paciente. Uma vez realizada a lipoaspiração seguindo todos esses parâmetros de segurança o traumatismo local ao final do procedimento será muito reduzido, assim como a presença de áreas arroxeadas poderá não ocorrer e a dor será muito discreta; semelhante à presente após um exercício físico. Lembrando que a satisfação do paciente nesse tipo de procedimento é imediata.

Doutor após lipoaspiração,posso engordar novamente? A gordura volta?
Continuando a responder as perguntas mais frequentes de nossos amigos leitores enviadas por e-mail à [email protected] ,uma pergunta muito frequente em consultórios de Cirurgia Plástica é se a paciente após uma lipoaspiração abdominal, por exemplo, pode voltar a engordar nessa região, se a gordura volta. A resposta é sim, você pode voltar a engordar em uma região anteriormente aspirada, e não; a gordura aspirada não volta. É fato, a gordura foi retirada; aspirada; e desprezada não voltando nunca mais. O que ocorre é que durante toda a nossa vida, e não apenas durante os estirões de crescimento como se acreditava no passado, se desenvolvem adipócitos; que são as nossas células gordurosas.

O desenvolvimento dessas células de gordura se dá de maneira muito lenta quando comparada a sua hipertrofia; ou seja, ao aumento de volume; de tamanho, das células de gordura já existentes em resposta a uma ingestão calórica demasiada. Dessa forma, continuamos a produzir células gordurosas e a aumentar o volume; com o acúmulo de gordura, das células já existentes, sendo esse último fator; o aumento de volume (hipertrofia) o maior responsável pelo ganho de peso. A manutenção do resultado de um lindo contorno corporal após uma lipoaspiração dependerá, assim como também dependem os corpos das mais belas modelos, de um correto hábito alimentar. Alimentar-se corretamente, com alimentos nutritivos e fazer atividades físicas para aumentar o gasto energético são fundamentais para a manutenção de um corpo saudável e bonito. Sendo a entrada de calorias no organismo maior que a sua saída, irá ocorrer acúmulo de energia química em forma de depósitos de gorduras e consequente comprometimento do contorno corporal.

Assim, após uma lipoaspiração basta uma dieta equilibrada para a manutenção do resultado. Um ganho de peso pós operatório em torno de três quilos já compromete o resultado. Curiosamente, observa-se , que pacientes que engordam após uma lipoaspiração parecem apresentar menos acúmulo de gordura nas áreas preveamente lipoaspiradas quando comparadas as demais áreas de acúmulo da gordura.

É verdade que a lipoaspiração da parte inferior das costas deixa o bumbum mais bonito?
Sim é verdade. Isso acontece não só devido a lipoaspiração da região lombar mas também por causa da lipoaspiração dos flancos (os pneuzinhos da região lateral do tronco), que ao remover os excessos de gordura que camuflavam os contornos do glúteo, realçam sua forma. Todas as pacientes que realizam esse procedimento cirúrgico de lipoaspiração circunferêncial (lombar e flancos), mesmo que não apresentassem queixas quanto aos glúteos anteriormente à cirurgia, percebem e comentam uma substancial melhora da forma de seu bumbum no pós-operatório.

Devemos levar em conta, que uma vez realizada a lipoaspiração no plano superficial e profundo destas regiões do tronco ocorrerá um fenômeno de retração cutânea dessa pele e diminuição do coxim gorduroso na área adjacente superiormente ao glúteo, com acentuação da concavidade lombar e um discreto lifting (elevação) trazendo um aspecto gracioso ao contorno das nádegas. Pode ser associado a este procedimento a lipoaspiração dos rolos de gordura abaixo da prega infraglútea para complementar a definição dos limites desse bumbum.

As incisões (cortes) para o acesso das cânulas de lipoaspiração são muito pequenas e ficam bem posicionadas na prega interglútea e para espinhal baixa sendo facilmente camufladas pelas roupas íntimas. A recuperação pós-operatória é rápida e o repouso relativo podendo a paciente retornar a suas atividades com certa rapidez. É com certeza um dos procedimentos cirúrgicos que traz mais satisfação ao paciente operado.

Fiz dieta, exercícios físicos; emagreci mas, não perco as gorduras localizadas
É uma queixa comum, tanto de homens, como também entre as mulheres, a presença das indesejáveis gorduras localizadas. Muitas vezes essas pessoas apresentavam inicialmente um sobrepeso significativo, mas, com muita perseverança, força de vontade, reeducação alimentar, exercícios físicos e tantas outras mudanças de hábitos e sacrifícios que sabemos serem necessários para as perdas ponderais (emagrecimento) conseguiram atingir seu objetivo; estar com seu peso na medida ideal para sua idade e altura. Porém essas pessoas, apesar de estarem com seu peso ideal, não estão satisfeitas com seu corpo,e o principal motivo para isto é a presença das gorduras localizadas. O que ocorre, é que ao emagrecermos os depósitos de gordura não são mobilizados da forma como gostaríamos.

Seria ótimo se a mobilização de gordura fosse intensa na cintura, no abdome e nos culotes e mais discreta nas coxas e glúteos para manutenção dos resultados obtidos com as inúmeras horas de caminhada e academia, mas não é o que normalmente ocorre. Os depósitos da cintura e abdome são de difícil mobilização. Para que a persistência na perda de peso não leve a diminuição de medidas em áreas indesejadas, o mais indicado é a realização de lipoaspiração dos depósitos de gordura localizados nessas áreas de difícil mobilização.

Através desse procedimento cirúrgico será alcançado o contorno corporal desejado, mantendo e otimizando os resultados obtidos com a reeducação alimentar e os exercícios físicos. Como as áreas a serem lipoaspiradas são pequenas, o trauma local é muito limitado, podendo a anestesia ser uma raquianestesia; como a de cesareana, e a recuperação ser muito rápida e praticamente indolor.

Gorduras localizadas: Lipoaspiração X Injeções de Substâncias que “queimam” gordura
Muitas pacientes me procuram no consultório com queixa de gorduras localizadas. De fato, as gorduras localizadas estão entre as principais causas de descontentamento da mulher atual, dinâmica e ativa. Muitas dessas mulheres, buscam esclarecimentos sobre as maneiras existentes hoje, para a eliminação dessas gorduras. Nesse contexto, sem sombra de dúvida, e é consenso em todos os congressos de Cirurgia Plástica, a lipoaspiração é a maneira mais segura, e precisa para a remoção de gorduras localizadas.

Nesse momento, em algumas raras ocasiões, surge a pergunta: ”Doutor, existem aquelas injeções que queimam gordura?” Sim, infelizmente existem. Apesar de proscritas pela imensa maioria dos membros da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica elas ainda são utilizadas por algumas pessoas. Sejam elas substâncias líquidas ou gases, esses materiais injetados quando reagem com o tecido gorduroso causam lipólise, ou seja, sua morte. Os problemas inerentes a esse tipo de procedimento vão desde a sua realização em clínicas (e não em ambientes hospitalares com suporte à vida adequado para o caso de reações alérgicas intensas à substância injetada), a inexistência de controle da quantidade de gordura que será destruída (não é precisa, levando à irregularidades de contorno corporal), a gordura destruída se liquefaz e poderá não ser totalmente reabsorvida levando à seromas passíveis de infecção, até mesmo deve ser questionado a dificuldade de fiscalização da qualidade, antigenicidade e esterilidade do material utilizado.

Por outro lado, a lipoaspiração é um procedimento cirúrgico consagrado, seguro, com décadas de aprimoramento técnico, permite total controle da quantidade de gordura aspirada, profundidade e local de atuação, diminuindo os riscos de irregularidade. Além disso a gordura é aspirada, atenuando a resposta inflamatória que uma lipólise desse volume poderia causar. Isso vai de encontro com as perspectivas atuais, onde apesar do forte apelo de marketing que procedimentos “rápidos” possuem, a segurança do paciente  ainda deve ser o pilar fundamental onde se ancoram todos os procedimentos cirúrgicos modernos.

Lipoaspiração das costas
É extremamente comum que pacientes procurem o cirurgião plástico devido a depósitos de gordura na região do dorso (as costas). Os depósitos de gordura mais comuns nessa região se localizam nas áreas mais inferiores como a lombar; acima das nádegas e nos flancos (os famosos pneuzinhos) mas, muitas vezes essa lipodistrofia (acúmulo de gordura) atinge até a porção mais alta do dorso (próximo à de implantação dos braços), formando o que conhecemos por rolos de gordura. É dado o nome de rolo de gordura porque é justamente o que ocorre; nessa região seguimentos da pele são mais aderidos ao plano profundo de forma que à medida que a gordura vai se acumulando acima dessa área de aderência, o seu peso somado à força da gravidade faz com que essa gordura literalmente role sobre essa aderência formando pregas oblíquas na parte lateral das costas.

Para esses casos esta indicada a lipoaspiração da porção alta do dorso. Esse procedimento deve ser realizado em um plano profundo associado a um plano mais superficial; para aspiração dos depósitos gordurosos, com rompimento das áreas de aderência para permitir uma retração da pele em excesso que cobria o rolo de gordura, trazendo um resultado harmonioso e uma silhueta mais bonita. Esse procedimento de lipoaspiração da porção alta do dorso pode se associado, em um mesmo tempo cirúrgico, à lipoaspiração lombar e dos flancos (pneuzinhos). O pós-operatório é bastante tranquilo com repouso relativo e volta rápida às atividades do dia à dia. Deverá ser usada malha elástica modeladora e analgésicos de rotina.

Lipoaspiração Masculina
A lipoaspiração um procedimento da Cirurgia Plástica que modela o corpo mediante a remoção de excesso de gorduras de àreas selecionadas, à muito deixou de ser um privilégio das mulheres e hoje tem nos homens um grande número de adeptos. Sendo um dos carros-chefes da Cirurgia Plástica a lipoaspiração, ou lipoescultura, como as vezes é chamada, encontrougrande aceitação no público masculino, que nela encontrou a solução para aqueles indesejáveis “pneuzinhos”. Diferentemente das mulheres, os homens tem queixas um pouco mais objetivas e quase sempre envolvendo poucas àreas corporais. A principal região anatômica a qual o homem busca correção é a diminuição das medidas dos flancos; lateral do tronco; indo desde pequenos acúmulos adiposos até grandes “rolos de flanco” estendendo-se até as costas.

O metabolismo lipídico masculino ao contrário do feminino; muito influênciado pelo hormônio estrogênio; há depósito de gordura mais na região dos flancos e abdome, que para sua sorte dificilmente vem acompanhado de celulites ou estrias, o que não ocorre nas mulheres, mas infelizmente é uma das áreas de mais difícil perda de gordura através de dietas ou exercícios, o que muitas vezes desanima o paciente que acaba acreditando ser impossível aquele tão almejado abdome plano. Essa lacuna de esperança é preenchida pela lipoaspiração. Poucos procedimentos na Cirurgia Plástica foram tão revolucionários como a lipoaspiração; um verdadeiro divisor de àguas; e tiveram tanta aceitação por parte dos homens, sendo hoje um dos procedimentos cirurgicos mais procurados por homens no arsenal cirúrgico do Cirurgião Plástico e seu número vem crescendo a cada ano.

A lipoaspiração é realizada com as famosas cânulas , com as quais são aspirados os depósitos de gordura. A anestesia pode ser geral ou bloqueio (raqui) dependendo das àreas a serem aspiradas. As incisões de acesso são muito pequenas e apresentam via de regra uma ótima cicatrização sendo estratégicamente posicionadas na topografia do corpo que as torna praticamente imperceptíveis e camufladas, sendo cobertas pelas vestes íntimas usuais. O pós-operatório é um dos mais tranquilos entre as cirurgias plásticas; podendo voltar muito precocemente ao trabalho. É um procedimento que traz usualmente grande satisfação ao paciente,pois é inegável a imediata e rápida redução nas medidas, e um resultado ainda melhor após a redução do edema.

Segurança em Lipoaspiração
A idéia básica e principal de uma lipoaspiração foi apresentada pelo cirurgião plástico francês Dr. Gerard Illouz  no ano de 1977 e já refletia a preocupação de que deveriam ser preservadas ao máximo as conecções da pele aos planos profundos, respeitando os vasos sanguíneos, os linfáticos e as terminações nervosas, contidos nas áreas de atuação. Assim a execução do procedimento que consta da remoção de gordura deve ter princípios de segurança  a serem observados e respeitados. Um princípio inicial que deve ser observado é o emprego de instrumentos adequados a cada método cirúrgico, dessa maneira as cânulas de lipoaspiração devem ser apropriadas para cada área a ser tratada variando assim em seu comprimento, diâmetro, posição e número de furos, formato da ponta, entre outros detalhes importantes para a segurança do procedimento. Cânulas muito grossas e com muitos furos podem romper a macro estrutura do subcutâneo e lesar vasos, nervos e linfáticos e por isso seu uso deve ser evitado. Outro princípio de segurança é a ausência de traumatismo exagerado na área lipoaspirada auxiliando nessa forma a retração da pele e diminuindo a resposta inflamatória ao trauma com menos edema e dor. É importante que seja seguido o concenso atual proposto pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica no que se refere ao quanto se pode aspirar,nesse aspecto aceita-se bem a determinação de respeitar-se as proporções de 5% á 7% do peso do paciente, lembrando sempre que as áreas á serem aspiradas também devem ser limitadas. Seguindo-se estes princípios as margens de segurança serão ampliadas e o procedimento poderá ser realizado com todo o controle necessário. A lipoaspiração é um procedimento da Cirurgia Plástica muito bem conceituado e executado á mais de trinta anos, e muito seguro desde que respeitados seus princípios e limitações.